23 de agosto de 2013

dica de série: hannibal


Sinopse: Um dos personagens mais fascinantes da literatura e do cinema chega à televisão pela primeira vez: o psiquiatra e assassino em série Dr. Hannibal Lecter. No novo drama de Bryan Fuller (Pushing Daisies), descobrimos o começo desta história incrível.
Will Graham é um talentoso fornecedor de perfis criminosos que está em busca de um serial killer, com a ajuda do FBI. A forma única de Graham pensar dá a ele a habilidade de ter empatia com qualquer um – até mesmo psicopatas. Ele parece saber o que os afeta. 
Entretanto, a mente do homem procurado é muito complicada, até mesmo para Graham, portanto, ele busca pela ajuda do Dr. Lecter – um dos maiores psiquiatras do país. Armado com o conhecimento do brilhante doutor, Will e Hannibal (conhecido como um serial killer apenas pela audiência) formam uma parceria brilhante, na qual nenhum vilão escapa. Mas Will não sabe de nada...

 
   Falar que amei essa primeira temporada de Hannibal, é muito pouco. A melhor série que estreou esse ano, sem sombra de dúvidas. (Já estou em abstinência, inclusive. Contando os dias pra segunda temporada! <3).
   Por incrível que pareça, a primeira temporada não é centrada em Hannibal, mas sim no Will, o professor contratado pelo FBI por seu incrível dom: a empatia com os assassinos. Ele consegue sentir exatamente como foi o crime, e o que o assassino queria com a morte.
   A fotografia da série é linda, e todos os assassinatos são quase obras de arte. Nenhum deles mata por matar, mas sim, por um propósito, seja culpa, perdão... Eu adoro esse tipo de série e vou confessar que as mortes são incríveis! Não recomendo pra quem tem estômago fraco, viu?
   Falando em estômago fraco é incrível a repulsa que a gente sente (que eu senti, pelo menos) com os pratos de Hannibal. O canibalismo (que fica subentendido) ataca todos da série, sem dó nem piedade.

   E o senhor Will Graham, aaah, esse é um caso à parte. Em quase todos os episódios a vontade maior é pegar ele no colo e dizer que tudo vai ficar bem. O dom que ele tem, ao mesmo tempo que é uma boa coisa (para o FBI), é terrível para o Will. O modo como ele sofre ao se sentir na pele dos assassinos, é muuuito triste. E é incrível o modo como Hannibal consegue manipular a mente do Will, pra que não apenas ele, mas todos suspeitem dele.

   Não vou contar mais nada, pra não surgir mais spoilers do que eu já soltei, HAHAHAHAHA, mas é a melhor série que eu vi esse ano (o que não justifica as baixas audiências... simplesmente não entendo essa gente! ;~). A segunda temporada já foi confirmada, e tem previsão de estreia na midseason de 2014. Eu estou ansiosíssima!


   Alguém aí assiste? :)



6 comentários

  1. AMO seriados, principalmente assim!! Vou ver com certeza.. sou viciada em the following e cult
    muito bom o post!
    beijoo

    http://gabrielabordin.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também sou viciada em the following! AMO seriais killers! :)

      Excluir
  2. Ai Suuh, é a melhor série de todos os tempos!!!! Como fã da série de livros, e de gostar bastante dos filmes, eu no começo fiquei meio apreensiva com essa invenção da série. Mas nossa, foi uma surpresa maravilhosa!!! Gosto muito de como a habilidade do Will e a empatia dele é tratada na série, e as cenas do Hannibal na cozinha hehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu não li os livros ainda!! e os filmes, só vi o silêncio dos inocentes. mas tão na lista já! haha

      Excluir
  3. Hannibal é simplesmente fantástica. Ela é uma das séries que vieram na sombra de Dexter, pra falar de assassinos seriais, só que o "vilão" geralmente é tão foda que não tem como não amá-lo.

    http://bangbangescrevi.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. você curte o hannibal? aai eu peguei um ódio enoorme dele, sou #TeamWill sempre! hhahaha <3

      Excluir

respondo os comentários aqui mesmo, no post.
mas sempre passo dar uma visitinha (e comentar).
fique a vontade ♥

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo