29 de setembro de 2013

fiquei com o seu número (sophie kinsella)


Sinopse: A jovem Poppy Wyatt está prestes a se casar com o homem perfeito e não podia estar mais feliz... Até que, numa bela tarde, ela não só perde o anel de noivado (que está na família do noivo há três gerações) como também seu celular. Mas ela acaba encontrando um telefone abandonado no hotel em que está hospedada. Perfeito! Agora os funcionários podem ligar para ela quando encontrarem seu anel. Quem não gosta nada da história é o dono do celular, o executivo Sam Roxton, que não suporta a ideia de haver alguém bisbilhotando suas mensagens e sua vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam acabam ficando cada vez mais próximos e ela percebe que a maior surpresa da sua vida ainda está por vir.


Fiquei com o seu número foi o primeiro livro da Sophie que eu li na vida. Sempre li resenhas muito boas de todos, mas nunca tinha me chamado a atenção a ponto de querer ler. Graças aquela promoção deusa do submarino de livros por R$ 10,00 a uns meses atrás , consegui comprar três livros dela. E olha, só me arrependo de não ter começado a ler antes.
A história começa naquela muvuca toda em que ela perdeu o anel de noivado (que tá na família do noivo a TRÊS gerações!!) e pra completar a cena toda, seu celular foi roubado. E é claro que a Poppy tá apavorada! O que parece ser a salvação dela (o celular achado na lixeira) é o que vai proporcionar uma virada incrível na vida dela. 
Quando o Sam aceita em dividir o celular com a Poppy, nem ele imagina o quanto de confusão ela vai aprontar com ele. E vai perceber no final das contas, que seu noivo perfeito, não é tão perfeito assim.
E a Sophie sabe mesmo como escrever pra te prender até a última linha e sentir mesmo por tudo que os personagens passam. Claro, o final é um pouco previsível (o final sim, mas a cena em que ele acontece, é hilária!) como toda a comédia romântica, mas isso não tira o mérito da escrita.


Eu AMEI o livro. Aliás, amei é pouco, nem sei com que palavra descrever. Já nas primeiras páginas ele te conquista, eu tava rindo alto e torcendo muito pros dois teimosos.  É muito viciante e a leitura flui super bem: li ele em praticamente dois dias. O único ponto negativo dele, é o projeto gráfico. As folhas são beeem fininhas, daquelas que quase se enxerga o que tá escrito no outro lado, sabem? E isso cansa bastante a leitura.


ISBN: 9788501098634  Editora: Record

Eu recomendo muito! Um dos melhores livros que já li esse ano!
Alguém aí já leu? O que achou?

27 de setembro de 2013

amanhecer

foto: tumblr
Segunda-feira. 5h45 da manhã. Acordo de repente e tão desperta como se nunca tivesse dormido. E, claro, o sono não vai voltar tão cedo. Levanto, preciso de um copo d'água. Olho pela janela e vejo o amanhecer. Fico pensando e simplesmente não lembro quando foi a última vez que vi o dia raiar. Por incrível que pareça, em vez de me sentir em paz, sinto um revirar dentro do estômago. Me sento em frente a essa página em branco e as palavras não saem. Claro, preciso de papel e caneta.
Terça-feira. 5h30 da manhã. Olho pro relógio e não acredito que, pelo segundo dia seguido, meu sono sumiu. Bem no horário do amanhecer. De novo. Levanto e já faço um café, porque sei, pela experiência de ontem, que meu sono simplesmente não vai aparecer por um bom tempo.
De novo o amanhecer. De novo a sensação ruim dentro de mim. Ansiedade? Não. Acho que sei o que é só não quero admitir pra mim mesma. Medo. Viu, não consigo admitir nem pra mim e nem pra vocês.

Amanhecer me lembra mudança, começo de algo novo, de um dia novo. E fica claro pra mim que é isso que representa.
É uma época de mudança enorme na minha vida e encarar isso de frente me dá essa agonia tremenda, esse medo de não conseguir dar conta, de não dar certo, de simplesmente não ser.
Respiro fundo e relaxo. Volto pra cama com o pensamento mais clichê e real de todos: porquê sofrer por antecipação? Caio no sono de novo, mais aliviada, embora a sensação dentro de mim não passe completamente.
E percebo que, de repente, não tem mais porque escrever.


P.S. 1: Divagando é a tag do blog onde eu posto os meus textos. Então, favor dê os devidos créditos.
P.S. 2: Texto para se ler ouvindo esta música. Não tem nada a ver com o texto, mas eu tava nessa vibe quando escrevi.





26 de setembro de 2013

tim burton's holiday + wishlist


Ontem foi feriado aqui (aniversário da cidade, parabéns Barbosa! hahaha). E nada melhor que um feriado, mais o tempo frio pra aproveitar e rever todos os filmes lindos que a gente gosta né? Resolvi mostrar pra vocês minha pequena coleção de filmes do Tim Burton (meu diretor preferido <3 <3) e já aproveitando o assunto (e o post), fazer uma wishlist do que ainda me falta. Sabe, Natal logo vem aí e presentes são aceitos desde já, hahaha



Meu preferido, sem dúvida nenhuma é Frankenweenie. Sobre esse filme, apenas que: você pode matar todo mundo, menos um cachorro. Mesmo que for uma animação. Sério, chorrei horrores! Em segundo lugar nos preferidos estão empatados O Estranho Mundo de Jack <3 e Edward Mãos de Tesoura <3 <3.



Pretendo resenhar todos aqui no blog, na sessão cine pipoca. Até mesmo os mais antigos, porque são todos muito amor. ♥



Os dois Jacks das fotos eram, na verdade, dois chaveiros lindos que comprei num camelô e acabaram quebrando. #sad
Acabou que terminou o feriado e acabei revendo só Frankenweenie, O Estranho Mundo de Jack e Edward Mãos de Tesoura! <3

E agora, minha wishlist ♥

Livros


Sinopse - O Estranho Mundo de Tim Burton - Paul A. Woods
Tim Burton é um dos diretores mais bem-sucedidos dos últimos vinte e cinco anos e também um dos mais polêmicos. adaram milhões, foram visualmente impactantes e geraram controvérsias. Você talvez o ache um cara estranho; afinal, Burton só se veste de preto, faz filmes estranhos e desenhos com monstros. Mas ele, na verdade, é apenas um adulto com cabeça de criança, ainda tímido, que adora expressar em seus filmes tudo que se passa em sua mente criativa. Este almanaque é uma reunião de textos e entrevistas sobre (e com) Burton, dissecando seus filmes e o próprio em ordem cronológica e fazendo com que entendamos a “estranheza” do genial diretor. Você descobrirá que ele era um garoto isolado, que uma vez seus pais fecharam a janela de seu quarto com tijolos, que a maioria de suas produções tem referências a filmes antigos, que ele trabalhou na Disney, que uma de suas namoradas salvou sua vida e muito mais.






Sinopse - O Triste Fim Do Pequeno Menino Ostra - E Outras Histórias - Tim Burton

Das incríveis animações em stop motion — como O estranho mundo de Jack e A noiva cadáver — aos modernos e excêntricos contos de fada Edward Mãos de Tesoura e Peixe grande, o cineasta  Tim Burton tornou-se conhecido por sua linguagem visual única, que equilibra perspicácia e humor ácido.

Neste livro, em que as ilustrações evocam a doçura e a tragédia da vida, Burton apresenta uma galeria de personagens infantis muito peculiares. Incompreendidos e desajustados, eles lutam para encontrar amor e aceitação em um mundo cruel. São desesperançados e infelizes heróis que nos lembram o lado negro que há em todos nós.






The Nightmare Before Christmas - Tim Burton


Não achei sinopse desse livro, mas é basicamente a história ilustrada do filme O Estranho Mundo de Jack, em inglês.

Numa fissurada pelo Jack como eu, esse livro entrou direto na wishlist! ♥
Tem no submarino.


Sinopse - Tim Burton - Mestres do Cinema - Aurélien Ferenczi  
Tim Burton é o mais novo dos diretores mais bem-sucedidos de Hollywood. Ele tem o dom de fazer filmes com um amplo apelo, tendo a tolice de representação de crianças, mantendo-se em contato com a criança dentro de si mesmo e suas audiências. Burton surgiu como um diretor e contador de histórias, depois de trabalhar como animador da Disney. Seu encontro com Johnny Depp permitiu-lhe dar forma física para os heróis de seus mundos imaginários, onde o medo é misturado com o riso, estranho é normal e aqueles que não são normais, como Edward Mãos de Tesoura (1990), deve ser preservada. Depois de Beetlejuice (1988) e A Fantástica Fábrica de Chocolate (2005), Burton, agora na casa dos cinquenta, apresenta sua versão de Alice no País das Maravilhas (2010).


Filmes




Batman - O Retorno (1992)


Com o objetivo de manipular Gotham City, um milionário (Christopher Walken) tenta transformar o Pinguim (Danny DeVito), um ser deformado que tinha sido abandonado ainda bebê nos esgotos, em prefeito da cidade. Como se isto não bastasse, surge a Mulher-Gato (Michelle Pfeiffer) que, apesar de ser linda e sedutora, também tem dupla personalidade, em razão de problemas no passado. Ambos se tornam verdadeiros pesadelos para Batman no presente.



Os Fantasmas se Divertem (1988)
Após morrerem quando o carro deles cai em um rio, Barbara Maitland (Geena Davis) e Adam Maitland (Alec Baldwin) se vêem como fantasmas que não podem sair da sua casa de campo na Nova Inglaterra, pois antes que possam ganhar suas asas têm que ocupar a casa como fantasmas pelos próximos cinqüenta anos. A paz é rompida quando Charles (Jeffrey Jones) e Delia Deitz (Catherine O'Hara), um casal de novos-ricos, compra a casa. Mas os Maitland são inofensivos como fantasmas e os esforços para espantar os compradores acaba em fracasso. E se o casal não fica apavavorado, Lydia Deitz (Winona Ryder), a excêntrica e dark filha deles, pode ver e falar com Barbara e Adam, que contratam os serviços de um Beetlejuice (Michael Keaton), um "bio-exorcista", para apavorar os moradores, apesar de
sentirem simpatia por Lydia. Mas logo a situação foge do controle.








A Fantástica Fábrica de Chocolate (2005)

Willy Wonka (Johnny Depp) é o excêntrico dono da maior fábrica de doces do planeta, que decide realizar um concurso mundial para escolher um herdeiro para seu império. Cinco crianças de sorte, entre elas Charlie Bucket (Freddie Highmore), encontram um convite dourado em barras de chocolate Wonka e com isso ganham uma visita guiada pela lendária fábrica de chocolate, que não era visitada por ninguém há 15 anos. Encantado com as maravilhas da fábrica, Charlie fica cada vez mais fascinado com a visita.




Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas (2003)

Ed Bloom (Albert Finney) é um grande contador de histórias. Quando jovem Ed saiu de sua pequena cidade-natal, no Alabama, para realizar uma volta ao mundo. A diversão predileta de Ed, já velho, é contar sobre as aventuras que viveu neste período, mesclando realidade com fantasia. As histórias fascinam todos que as ouvem, com exceção de Will (Billy Crudup), filho de Ed. Até que Sandra (Jessica Lange), mãe de Will, tenta aproximar pai e filho, o que faz com que Ed enfim tenha que separar a ficção da realidade de suas histórias.


Sombras da Noite (2012)

No ano de 1752, Joshua, Naomi Collins e seu filho Barnabas, foram embora de Liverpool, Inglaterra, para começar uma nova vida na América. Mas mesmo um oceano não foi suficiente para escapar da misteriosa maldição que atormenta sua família. Duas décadas se passaram e Barnabas (Johnny Depp) tem o mundo aos seus pés, ou pelo menos a cidade de Collinsport, Maine. Capitão do Collinwood Manor, Barnabas é rico, poderoso e um playboy inveterado ... até que ele comete o erro grave de quebrar o coração de Angelique (Eva Green), uma bruxa, em todos os sentidos da palavra, Angelique condena-o a um destino pior que a morte, transformando-o em um vampiro e enterrando-o vivo.
Dois séculos mais tarde, Barnabas é libertado de seu túmulo, e surge nos dias modernos.









Alice no País das Maravilhas (2010)
A trama é uma espécie de sequência do clássico original: Alice (Mia Wasikowska), aos 19 anos, vai a uma festa vitoriana e descobre que está prestes a ser pedida em casamento perante centenas de socialites. Ela então foge, seguindo um coelho branco, e vai parar no País das Maravilhas, um local que ela visitou há dez anos, mas não se lembrava.









Alguém mais aí é tão fissurada por Tim Burton quanto eu?

24 de setembro de 2013

kipling: nova coleção holiday

Sempre amei comprar materiais escolares. Sou muito fissurada em qualquer coisa de papelaria também. Eu era daquelas suuuper ansiosas, sabem? Chegava janeiro e eu já queria correr pra comprar as coisas (bem esperta né, quanto mais tempo antes, mais opções). Lembro que eu tinha uma mochila da Kipling que era meu xodó. Claro que naquela época, o que mais me convenceu a comprar foi o macaquinho (quem nunca, né?). Como a mochila foi velha de guerra (aguentou muuuitos anos comigo), com o tempo fui vendo a funcionalidade dela também, além da beleza. Aquela quantidade enorme de bolsos e compartimentos e zípers (hahaha, sério). Gosto até hoje.


Por isso que não podia deixar de mostrar aqui no blog a nova Coleção Holiday, da Kipling (que foi a primeira coleção que a empresa desenvolveu, em que o macaquinho é a marca registrada). Lançamento da coleção aliada a chegada da primavera só podia dar nisso: cinco cores vibrantes, uma mais linda que a outra!

 Cactus Green: o verde cool.


Pink Orchid: o rosa mais legal que já vi! *-*



Salmon Pink: alguém já viu um salmão/coral mais delicado e lindo que esse?




Glacier Blue: gente o que dizer desse azul? minha cor preferida dessa coleção, certeza.

Brilliant Purple: o roxo nosso de cada dia ♥



Quer mais uma novidade linda e maravilhosa? A Kipling está com o novo concurso Correspondente Kipling no ar! É só acessar o site pra saber como participar, lembrando que o prazo vai até dia 30 de setembro, ou seja: CORRE!


playlist: melhores da segunda (e última) semana de rock in rio

E aaqui estou eu de novo com a playlist do que melhor rolou nesse segundo final de semana de Rock In Rio! Fico muito mais contente com essa semana porque quase não tive decepções (além de Metallica não tocar The Unforgiven, isso foi sacanagi). Mas teve muita gente que me surpreendeu: Alice in Chains (já gostava antes, depois de show tão amor, então <3 <3), Nickelback (não escutava eles sei lá a quanto tempo e me surpreendi por saber quase todas as músicas do set list, haha), entre outros.
Vamos lá? :))











gente, não achei um vídeo melhor que esse no senhor youtube
(uma pena, porque matchbox é sensacional e o show foi lindo ;~)


apenas dois comentários.
primeiro: de onde vieram? porque vieram parar no palco principal dum evento como o Rock In Rio? mereceriam estar ali enquanto outros como ben harper e offspring ficam no palco sunset? não, não mereciam.
segundo: mesmo sendo uma banda desconhecida, mereciam ter todo esse preconceito e mau tratamento no show? não, não mereciam.
não estou nem de longe defendendo as letras ou algo parecido (afinal, a banda passa muito longe do meu estilo), só que eles foram muito injustiçados. sério gente, já teve gente muito pior que eles por aqui e nem por isso receberam esse tratamento.







apenas que essa música: <3


bon jovi, estou tristíssima com o fato do senhor não ter incluído misundertood em seu set list.
muito tristíssima.


P.S.:  Fiz essa playlist com base nos show que vi, seja ao vivo, ou em pedaços pelo youtube (que foi o caso de Avenged e Ghost), então não se sintam ofendidos com a falta de Slayer, Philip Philips... Apenas não os assisti e não tenho opinião sobre eles.


Qual são as favoritas de vocês? Quais incluiriam nessa playlist?

22 de setembro de 2013

li até a página 100: garota exemplar (gillian flynn)

Vi essa tag/meme em taantos blogs, que não consegui achar quem foi a criadora oficial dele (se alguém souber favor comentar para eu atualizar com os devidos créditos). Bom, o objetivo dele é contar um pouco sobre o que estamos achando da leitura atual, pra comparar com a resenha final e ver o que mudou, quais eram as expectativas, enfim....
Faz tempãão que eu não atualizo essa tag, e o escolhido de hoje foi Garota Exemplar, da Gillian Flynn. Um livro que estou AMANDO e não vejo a hora de terminar e fazer uma resenha procêis :)

foto por Melina Souza :)

Primeira frase da página 100:
(no caso, começa na 99 e termina na 100) "Eu sei, eu sei, eu sei que perder o emprego é incrivelmente estressante, em especial para um homem, dizem que pode ser como uma morte na família, em particular para um homem como Nick, que sempre trabalhou, então eu dou uma respirada gigantesca, enrolo minha raiva fazendo uma bola de borracha vermelha e mentalmente a chuto para o espaço."

Do que se trata o livro?
Sequestro. Ou assassinato, já que ainda não foi encontrado o paradeiro de Amy. E de como a gente pode se enganar facilmente até com quem tá muuuito perto da gente.

O que está achando até agora?
Estou AMANDO. Cada capítulo mostra o ponto de vista de um deles sobre a situação. Um capítulo para Nick (que até o momento, é só no presente, a situação do desaparecimento da esposa que ele está lidando) e um capítulo para Amy (que é uma viagem no casamento deles: de como era lindo e perfeito no começo, até ela começar a ver que quem tava ao lado dela não é exatamente quem ela imaginava).

O que está achando dos protagonistas?
Embora o principal protagonista seja o Nick, eu odiei ele. Embora seja muito óbvio que ele seja o culpado, eu espero que ele seja mesmo! Assim a minha raiva por ele será mais que justificada.
E a Amy, eu gosto muito dela. Acho que o tempo todo ela tentou o melhor e ele que não soube ajudar a preservar o que eles tinham de bom.

Melhor quote até agora:
"Esses medonhos relacionamentos do seEste casamento seria ótimo se... E você sente que a lista dos se é muito maior do que qualquer um dos dois se dá conta."

Vai continuar lendo?
Com certeza! Li váárias resenhas sobre ele e sobre sua reviravolta no final e tudo mais, que só me deixou mais ansiosa ainda pra continuar!

Última frase da página 100:
"Vivemos a última década como se estivéssemos ganhando o mesmo dinheiro que ganhamos nas duas décadas anteriores, e não estávamos."

21 de setembro de 2013

texto: síndrome dos 20 e poucos anos


Você começa a se dar conta de que seu círculo de amigos é menor do que há alguns anos. Dá-se conta de que é cada vez mais difícil vê-los e organizar horários por diferentes questões: trabalho, estudo, namorado(a) etc. E cada vez desfruta mais dessa Cervejinha que serve como desculpa para conversar um pouco. As multidões já não são ‘tão divertidas’, às vezes até te incomodam.
Mas começa a se dar conta de que enquanto alguns eram verdadeiros amigos, outros não eram tão especiais depois de tudo. Você começa a perceber que algumas pessoas são egoístas e que, talvez, esses amigos que você acreditava serem próximos não são exatamente as melhores pessoas. Ri com mais vontade, mas chora com menos lágrimas e mais dor. Partem seu coração e você se pergunta como essa pessoa que amou tanto e te achou o maior infantil, pôde lhe fazer tanto mal. Parece que todos que você conhece já estão namorando há anos e alguns começam a se casar, e isso assusta!
Sair três vezes por final de semana lhe deixa esgotado e significa muito dinheiro para seu pequeno salário. Olha para o seu trabalho e, talvez, não esteja nem perto do que pensava que estaria fazendo. Ou, talvez, esteja procurando algum trabalho e pensa que tem que começar de baixo e isso lhe dá um pouco de medo.
Dia a dia, você trata de começar a se entender, sobre o que quer e o que não quer. Suas opiniões se tornam mais fortes. Vê o que os outros estão fazendo e se encontra julgando um pouco mais do que o normal, porque, de repente, você tem certos laços em sua vida e adiciona coisas a sua lista do que é aceitável e do que não é. Às vezes, você se sente genial e invencível, outras… Apenas com medo e confuso.
De repente, você trata de se obstinar ao passado, mas se dá conta de que o passado se distancia mais e que não há outra opção a não ser continuar avançando. Você se preocupa com o futuro, empréstimos, dinheiro… E com construir uma vida para você. E enquanto ganhar a carreira seria grandioso, você não queria estar competindo nela.

O que, talvez, você não se dê conta, é que todos que estamos lendo esse texto nos identificamos com ele. Todos nós que temos ‘vinte e tantos’ e gostaríamos de voltar aos 15-16 algumas vezes. Parece ser um lugar instável, um caminho de passagem, uma bagunça na cabeça, mas TODOS dizem que é a melhor época de nossas vidas e não temos que deixar de aproveitá-la por causa dos nossos medos… Dizem que esses tempos são o cimento do nosso futuro. Parece que foi ontem que tínhamos 16… Então, amanha teremos 30. Assim tão rápido.


O autor é desconhecido, mas como diz o texto, todos nós que temos 20 e poucos (ou tantos), em algum momento da vida nos identificamos com ele. Tipo eu, que estou quase passando por uma crise dos vinte.

18 de setembro de 2013

playlist: melhores da primeira semana de rock in rio

E é claaro que eu não podia deixar de fazer um post desses, né? (e antes que viesse a segunda semana, of course) Muita gente me surpreendeu nesse Rock in Rio: titia Florence (que eu nem era tão fã assim, mas virei depois do MARAVILHOSO show de sábado), Justin Timberlake (gente, que HOMEM é esse? quem diria que aquele pivete do 'NSynk (nunca aprendi a escrever o nome dessa banda) ia virar esse vozeirão e essa ginga toda?), Offspring (que é minha adolescência <3). Muita gente também me decepcionou: Alicia Keys (que CHATICE de show), 30 Seconds To Mars (só pra mim que parece todas as músicas iguais?), Jessie J (esperava mais...)
Whatever., escolhi minhas músicas preferidas desse primeiro final de semana de festival (independente de quem me decepcionou, ou não).












sorry pela má qualidade desse, mas a música é tão amor pra mim (e foi o único vídeo mais ou menos que achei)












Quais são as escolhas de vocês desse primeiro final de semana? :)

16 de setembro de 2013

inspiração: journals

Que eu amo journals, acho que vocês tão cansados de saber, até indiquei o quotesquine nesse post aqui. Sempre gostei de olhar cadernos, agendas e diários alheios, acho o máximo! Pensando nas muitas meninas que tem esse vício, assim como eu, selecionei as imagens mais legais de journals que encontrei pelo we♥it. A maioria delas é do wreck this journal (que tá na minha wishlist faz séculooos, embora eu ainda o ache muito caro #pãodura, whatever...). São fotos que dão uma beeela inspiração na hora de rabiscar!




















Claro que também tenho o meu caderno de rabisco e afins, but, ainda não estou satisfeita o bastante com ele pra mostrar aqui, hahahaha! :))
Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo