21 de setembro de 2013

texto: síndrome dos 20 e poucos anos


Você começa a se dar conta de que seu círculo de amigos é menor do que há alguns anos. Dá-se conta de que é cada vez mais difícil vê-los e organizar horários por diferentes questões: trabalho, estudo, namorado(a) etc. E cada vez desfruta mais dessa Cervejinha que serve como desculpa para conversar um pouco. As multidões já não são ‘tão divertidas’, às vezes até te incomodam.
Mas começa a se dar conta de que enquanto alguns eram verdadeiros amigos, outros não eram tão especiais depois de tudo. Você começa a perceber que algumas pessoas são egoístas e que, talvez, esses amigos que você acreditava serem próximos não são exatamente as melhores pessoas. Ri com mais vontade, mas chora com menos lágrimas e mais dor. Partem seu coração e você se pergunta como essa pessoa que amou tanto e te achou o maior infantil, pôde lhe fazer tanto mal. Parece que todos que você conhece já estão namorando há anos e alguns começam a se casar, e isso assusta!
Sair três vezes por final de semana lhe deixa esgotado e significa muito dinheiro para seu pequeno salário. Olha para o seu trabalho e, talvez, não esteja nem perto do que pensava que estaria fazendo. Ou, talvez, esteja procurando algum trabalho e pensa que tem que começar de baixo e isso lhe dá um pouco de medo.
Dia a dia, você trata de começar a se entender, sobre o que quer e o que não quer. Suas opiniões se tornam mais fortes. Vê o que os outros estão fazendo e se encontra julgando um pouco mais do que o normal, porque, de repente, você tem certos laços em sua vida e adiciona coisas a sua lista do que é aceitável e do que não é. Às vezes, você se sente genial e invencível, outras… Apenas com medo e confuso.
De repente, você trata de se obstinar ao passado, mas se dá conta de que o passado se distancia mais e que não há outra opção a não ser continuar avançando. Você se preocupa com o futuro, empréstimos, dinheiro… E com construir uma vida para você. E enquanto ganhar a carreira seria grandioso, você não queria estar competindo nela.

O que, talvez, você não se dê conta, é que todos que estamos lendo esse texto nos identificamos com ele. Todos nós que temos ‘vinte e tantos’ e gostaríamos de voltar aos 15-16 algumas vezes. Parece ser um lugar instável, um caminho de passagem, uma bagunça na cabeça, mas TODOS dizem que é a melhor época de nossas vidas e não temos que deixar de aproveitá-la por causa dos nossos medos… Dizem que esses tempos são o cimento do nosso futuro. Parece que foi ontem que tínhamos 16… Então, amanha teremos 30. Assim tão rápido.


O autor é desconhecido, mas como diz o texto, todos nós que temos 20 e poucos (ou tantos), em algum momento da vida nos identificamos com ele. Tipo eu, que estou quase passando por uma crise dos vinte.

6 comentários

  1. Ah,eu concordo completamente.Eu me vi MUITO nesse texto..quando somos adolescentes,é tudo lindo,maravilhoso,divertido e um balde de pipoca sempre supera a nossa depressão pó-término com algum garoto idiota,mas daí você cresce.. e o cara é um babaca adulto e você sofre demais e um balde de pipoca nem é nada!
    São épocas diferentes..pontos de vistas diferentes.. e você simplesmente precisa buscar um caminho para superar essa dor! Cresce é tão chato..rs :)


    beeijos!
    http://borboletametamorfoseando.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu também! tô praticamente tendo uma crise dos vinte e poucos, haha :)

      Excluir
  2. Que saudades tenho dos meus vinte e poucos rsss
    ja sigo teu blog
    http://www.jeitosimplesdeser.com.br/

    ResponderExcluir

respondo os comentários aqui mesmo, no post.
mas sempre passo dar uma visitinha (e comentar).
fique a vontade ♥

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo